segunda-feira, 2 de abril de 2012

Amor dos pais faz bem ao cérebro da criança


 Lucie and Simon Beginning of a life 2008 (aqui )

Um novo estudo reafirma o que intuitivamente já sabíamos, o quanto o suporte afetivo dos pais, avós e restante família, é fundamental para o desenvolvimento saudável das crianças. Mas pela primeira vez foi possível a sua confirmação através da visualização das alterações cerebrais.
Esse impacto, ocorre no hipocampo, que é a estrutura do cérebro mais importante na resposta ao stress, que se desenvolve mais em crianças saudavelmente acarinhadas.
Quando o corpo enfrenta tensões, o cérebro ativa o sistema nervoso autônomo, um sistema involuntário de nervos que controla a liberação de hormônios do estresse. Esses hormônios podem-nos ajudar a lidar com o estresse, aumentando a frequência cardíaca e ajudando o corpo a nos adaptarmos. O hipocampo é a estrutura do cérebro principal envolvido nessa resposta. É também fundamental na aprendizagem, na memória e num melhor desempenho na escola, entre outras coisas.
No referido estudo, as crianças foram cuidadosamente observados e filmadas interagindo com um dos pais, enquanto a criança foi convidada a esperar para abrir um presente atrativo. Quanto ou quão pouco os pais eram capaz de apoiar e estimular a criança nesta circunstância estressante - foi avaliada por juízes que não sabiam nada sobre a saúde da criança ou o temperamento dos pais. Pretendia-se avaliar, diz  Luby,  um dos autores do estudo, o comportamento e na medida em que o pai acarinhou seu filho nessas condições.
Os pesquisadores realizaram scans cerebrais em 92 das crianças.
A referida autora conclui: "Descobrimos uma relação muito forte entre o amor o tamanho do hipocampo em crianças saudáveis", e isto foi surpreendente.
Consultar o artigo Mom's Love Good for Child's Brain na Science Daily.
O referido estudo é da autoria de L. Luby, D. M. Barch, A. Belden, M. S. Gaffrey, R. Tillman, C. Babb, T. Nishino, H. Suzuki, K. N. Botteron, e tem o título Maternal support in early childhood predicts larger hippocampal volumes at school age. Proceedings of the National Academy of Sciences, 2012

Sem comentários: