domingo, 15 de julho de 2018

Loucura #1



Mural de Blu - Marrocos 2012

“Se um adulto nos reivindicar a aceitação da objetividade dos seus fenómenos subjetivos, discernimos ou diagnosticaremos nele loucura” 

Winnicott, D., O brincar e a realidade

sábado, 23 de junho de 2018

Sempre que o desejo está comprometido


de Kyuim Shim

Colina “O Transtorno do Défice de Atenção com Hiperactividade deve ver-se como a reacção infantil a um conflito que retém o desejo, e algo de similar cabe dizer de muitos comportamentos dos chamados transtornos limite da personalidade na adolescência e na idade adulta. (…) Isto é, sempre que o desejo está comprometido, a acção inibe-se ou intensifica-se” ( in C. Rey, 2012)." (...)


quinta-feira, 31 de maio de 2018

Saber é diferente de conhecer

Timoleon Marie Lobrichon, Promenade des enfants

“Saber é diferente de conhecer.
O saber exprime-se pelas leis e meios da língua. O conhecimento é uma vivência acompanhada de um relativo sentimento de certeza e pode expressar-se por uma linguagem poética, meta consciente, metafórica e simbólica. O conhecimento implica um saber mesmo relativo.
O pensamento cognitivo não se pode isolar da evolução afetiva e relacional. O afetivo depende do cognitivo e este é de origem afetiva.
A aprendizagem das funções, o uso de instrumentos, o investimento dos sistemas são de origem afetiva e relacional.”
Teresa Ferreira A psicose e a escola
 Revista Portuguesa de Pedopsiquiatria nº 1



sexta-feira, 20 de abril de 2018

Um mundo misterioso



Todos os anos sou convidada para visitar o maravilhoso jardim de rosas da minha amiga.  Já aqui coloquei essas fotos. Apercebo-me que virou tradição. 
A anfitriã escolhe o dia certo que considera que as rosas se encontram no seu pleno esplendor. Eu espero por esse dia. 
Como todos os anos, a visita decorre com uma certa cadência, com passos lentos que por vezes voltam atrás de modo a observarmos melhor a singularidade de cada rosa. Esta é magnífica, a mais bela de todas. Não, esta por ser tão singela, é a mais bela...não...aquela.... Por fim, concluo que não é possível escolher a mais bela de todas, só admirá-las. Rendo-me
Mas este ano, a minha amiga tinha reservado uma surpresa para o fim. Na entrada do jardim, bem perto da porta da rua, local de passagem de  pessoas e dos cães da casa, por cima da minha cabeça, e próximo do sininho de ferro que faz de campainha, escondido entre um roseiral (que vos mostro na foto), um ninho com passarinhos, que fotografei, mas tremi com medo que o flash os cegasse.

Como é possível o pássaro ter feito um ninho bem perto de nós, do movimento das pessoas, da rua, dos carros e da vivacidade dos cães?
Quando penso que a natureza tem as suas regras bem definidas, não sei nada. Este mundo é mesmo misterioso!


"O homem deve sentir que vive num mundo misterioso, sob certos aspectos, onde ocorrem coisas inauditas – que permanecem inexplicáveis – e não somente coisas que se desenvolvem nos limites do esperado. O inesperado e o inabitual fazem parte do mundo. Só então a vida é completa. Para mim desde o inicio, era infinitamente grande e inabarcável.”
Carl Jung (psicanalista) enxertos de uma carta a um jovem erudito