terça-feira, 13 de agosto de 2013

O Orgulho e a Vaidade

Tiziano Vecellio, Portrait of Venitian - nobleman 
 
“O homem é um animal narcísico – que se admira e precisa ser admirado. A sua qualidade é o orgulho; o seu defeito a vaidade. O bom narcisismo assenta num sentimento de dignidade pessoal. A deficiência narcísica, o sentimento de vacuidade, de vazio e miséria interiores, conduz à vaidade. O orgulhoso tem brio, porque assume a plenitude do seu ser, senhor do seu valor próprio e do seu valor social, é. O vaidoso pinta-se com tinta brilhante para esconder as mazelas das suas máculas da autoimagem, como é pouco, assenhora-se de apetrechos que o possam fazer brilhar; a sua problemática é a de o ter – para suprimir aquilo que não é. O orgulhoso seguro de si, deixa-se observar; o vaidoso inseguro de si mas desejoso de mostrar o contrário, exibe-se. O orgulhoso tem brio, o vaidoso procura brilhar”
António Coimbra de Matos A depressão Climepsi
Ainda, segundo o autor, é a diferença entre narcisismo positivo (bom sentimento de si mesmo) e narcisismo negativo (deficiente investimento de si próprio – aversão por si próprio).
 
O Programa da RTP/Play  - Dias do Avesso – sobre o assunto: Pais vaidosos fazem mal aos filhos, datado de 5 de agosto de 2013, com a jornalista Isabel Stilwell e o psicólogo Eduardo Sá, para ouvir,  aqui.
 

2 comentários:

Dama de Cinzas disse...

Muito bom o texto e muito certo!

Beijocas

cristina simões disse...

É.O vaidoso raramente suporta o orgulhoso. Inveja-o, muita das vezes.
fique bem