sábado, 2 de março de 2013

O círculo vicioso da inveja

Carpeaux Ugolino e o seu filho

“ Essa necessidade de assegurar-se contra prejuízo ou perigo internos e externos induz certas pessoas a acumular e armazenar todas as coisas boas de que conseguem lançar mão, e isso bem pode conduzir novamente à inveja num círculo vicioso de desejo, frustração e ódio – a menos que possa elevar-se em espiral pela introdução de mais amor. Pois logo que a necessidade de muito se torna forte, é evidente que começaram a introduzir-se as comparações. ....…não pode haver  duvida  de que uma  acentuação do desejo de tomar para si, como defesa  contra a desintegração interna, constitui importante fator  onde se quer que se faça notar a voracidade. Em qualquer caso, é evidente a conexão de voracidade e cobiça com segurança.”
Volto ao tema da inveja. É uma mais tentativa para desvendar as razões que a sustentam.
As suas manifestações enclausuradas pela repetição em desvalorizar, desdenhar ou insultar (no caso da inveja maligna), parecem ao invejado, inconcebíveis e nocivas, pelo que o mais sensato será levar a vida para a frente e nem se preocupar mais com a situação.
Esta libertação da influência do invejoso, será melhor sucedida se identificarmos a fonte que alimenta a vontade voraz de tomar para si um bem - posses materiais, dons físicos ou mentais.
Para a pessoa que inveja, no fundo do seu ser, está a sensação que a posse representa a prova “… de que nós mesmos somos bons e cheios de bondade, e como tal, em troca, merecedores de amor, de respeito e de honra. Servem assim de testemunho e garantia contra o receio que experimentamos do vazio que existe em nós, ou dos impulsos perversos que nos fazem sentir maus e cheios de maldade para com nós mesmos e para com os outros. “
A apropriação salvaguarda assim, o invejoso, da sensação interna de desintegração e do receio da retaliação que as outras pessoas poderão cometer contra ele.
Esta devoção inesgotável à cobiça, é uma forma de ganhar segurança.  
* as citações são de: Melanie Klein e Joan Riviere Amor, ódio e reparação Editora Imago
 

Sem comentários: