domingo, 24 de julho de 2011

A agressão humana mais perigosa


Acerca da certeza que se tem uma verdade absoluta e da utilização do meio circundante para regular as suas próprias tensões, a partir de um ódio ancestral que nega o lugar e a existência dos outros (um louco pode ser cerebral e ponderado, contrariamente ao que às vezes se pensa ):

“E a minha convicção é de que haveremos de alcançar resultados palpáveis devotando nossa atenção à agressão humana em que surge da matriz do narcisismo arcaico, isto é, ao fenómeno da fúria narcísica*.
A agressão humana é mais perigosa quando está ligada às duas grandes constelações psicológicas absolutistas: o self grandioso e o objecto omnipotente arcaico. E a destrutividade humana mais pavorosa não é encontrada em forma de comportamento primitivo, regressivo e selvagem, mas sim em forma de actividades metódicas e organizadas nas quais a destrutividade daqueles que as executam está amalgamada com a absoluta convicção acerca da sua própria grandeza e com a devoção que têm às figuras omnipotentes arcaicas”.
Heinz Kohut Self e Narcisismo Zahar Editores

Psicanalista austríaco que nasceu em 1913 e faleceu em 1981(viveu as Grandes Guerras Mundiais).

*Fúria narcísica significa: necessidade de vingar-se, de reparar uma afronta, de desfazer uma ofensa a qualquer custo, que pode invadir tudo (o outro, até a um povo, raça...) e manifestar-se  de "forma externalizada e encenada, quer em actos vingativos desconexos, quer numa vendetta habilmente planeada."

Como complemento, o texto de Isaura Neto e Francisco Vieira O Mal, a Maldade, Violência e Terrorismo,(aqui) ou  aqui.






Sem comentários: