sexta-feira, 8 de julho de 2011

Eu poderia me apaixonar se você tivesse...

Ele: “Eu poderia me apaixonar se você tivesse talento.”
Cena do filme: Tournée (Tournê)

Na cena seguinte, ela esbofeteia-o. Quer ser amada. Importou-se, mas há quem não se importe de estar numa relação interesseira, com proveitos mútuos, sendo que neste enredo, ele pretende brilhar à custa dela.
No caso de esta relação ter continuidade e centrando-nos na personagem masculina (suponhamos que terá personalidade narcísica), se recorrermos a uma imagem dos bastidores do palco, a relação cria um circuito eléctrico incompleto sem contacto – como ele não reconhece a pessoa total dela, não arranja lugar dentro de si para as coisas boas que ela lhe diz e que faz, e ela não sabe como alcançá-lo.
Sente-se que a relação não cresce, que não se forma nada de novo e enriquecedor (luminoso, também), a partir das interacções do dia -a -dia.
A desvalorização e a sua falta de empatia por ela, tornam este palco ainda mais sombrio.

Sem comentários: