domingo, 11 de julho de 2010

Tem de gostar

O Pecado: Necessidade desgovernada de aprovação.

Não é só atenção que queremos. Queremos que através dessa atenção, o outro confirme o quanto valemos. E quanto mais premente for essa necessidade, reforce a convicção que somos especiais e únicos.
Pomos essa indispensabilidade no trono dos nossos desejos, como se disso dependesse a nossa sobrevivência. E nessa ânsia, ultrapassamos a fronteira, porque devíamos tentar agradar ao outro, só até certo ponto.
O ponto que ultrapassamos, deu-se no momento em que julgamos que o outro não nos quer pelo que somos. Perdemos a confiança nas nossas próprias capacidades e escondemos de nós próprios e do outro, as nossas necessidades e os nossos interesses.
Por isso, a necessidade desgovernada de aprovação, revela uma excessiva carência de auto-estima. Mas isso não deveria fazer de nós vítimas, porque nessa busca desenfreada em agradar, estão mil e um gestos com a intenção de controlar o outro, ou seja, controlar o efeito que lhe causamos.
Tal como D. Quixote contra moinhos de vento, sem darmos conta, temos a fantasia de uma auto - imagem grandiosa, porque pouco corresponde à realidade. Da nossa realidade e da realidade do outro, pouco queremos saber, ou não estamos preparados para enfrentarmos o risco de nos pormos à mercê de sermos ou não sermos, compreendidos e aceites pelo que somos. E se assim continuar, qualquer dia, nem sabemos o que isso é.




Sem comentários: