sábado, 13 de outubro de 2012

O infiel

Coleção Berardo

Diz Ernest Jones "A infidelidade marital tem, com maior frequência do que se crê, origem neurótica; não revela liberdade, nem potência, mas o contrário.” Mais frequente ainda do que o medo neurótico dos vínculos é, contudo, uma vinculação neurótica, o medo de qualquer mudança de objeto.
Otto Fenichel Teoria psicanalítica das neuroses Edições Athneu
Sobre a infidelidade, devo dizer que acho muito digno assumir para com o marido ou mulher, que se tem outra pessoa, em vez de manter situações clandestinas e derespeituosas.
Será que a infidelidade marital revela medo da intimidade, vivida em exclusividade com alguém, ou revela sobretudo a ansiedade, nunca resolvida, em se libertar do compromisso com uma imagem fantasiosa e por quem em imaginário, se depende, razão pela qual pode ser procurada sem cessar, nesta ou naquela pessoa?

Sem comentários: